Projeto "Saúde Bucal nas Escolas"

Projeto
08/07/2019

O Departamento de Odontologia do município está realizando o levantamento de saúde bucal dos alunos das escolas municipais. O foco é minimizar os possíveis riscos no ambiente escolar

Todos sabem que os cuidados com a higiene são muito importantes, principalmente quando se fala de higiene bucal – processo que deve ser levado a sério desde a infância, para garantir dentes fortes e saudáveis na fase adulta.

É por isso que, o Departamento de Odontologia do município (órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde) está realizando o levantamento de saúde bucal dos alunos das escolas municipais. “A ideia é minimizar os possíveis riscos a que as crianças e adolescentes estejam expostos no ambiente escolar, com a finalidade de buscar estratégias de enfrentamento individuais e coletivas, com a participação dos profissionais de educação e saúde. Além do mais, o trabalho propicia o planejamento, execução, acompanhamento e avaliação das ações”, explica a diretora do Departamento de Odontologia, Drª Cláudia R. A. de Toledo.

A avaliação de saúde bucal deve ser realizada, preferencialmente, uma vez ao ano, em todos os níveis de ensino, para possibilitar o planejamento, em que haja um processo dinâmico de mapeamento das situações de saúde bucal nas escolas. Assim, estão sendo avaliados: queixas dos alunos; risco aos agravos de saúde bucal (cárie e doença periodontal); fatores de risco: alimentação rica em açúcares, tabaco, etc.; condições de vida da comunidade; práticas cotidianas de higiene e riscos ambientais, como riscos de acidentes, parques, escadas, etc.

            “Esses conjuntos de avaliações darão subsídios para a construção e planejamento das ações futuras, bem fundamentadas na realidade e necessidades dos alunos”, completa Cláudia.

Richard Gabriel Soares, 6 anos, está no 1º ano da EMEIF “Profª Annita Bartoletti Rodrigues” e disse que adorou o trabalho dos dentistas. “Não fiquei com medo; achei eles bem legais [sic]. Foi tudo rápido, e eu gosto de cuidar da minha boca; escovo os dentes todos os dias”, comentou.

Durante a avaliação de saúde bucal, o cirurgião-dentista pode observar se os alunos apresentam história atual de dor de dente, ou seja, dentes atingidos pela cárie, dentes ou restaurações fraturadas, alterações visíveis nos tecidos moles da boca, entre outros agravos. A partir daí, os profissionais podem elaborar as estratégias de ação para cada estudante. “Aqueles que apresentarem necessidade de tratamento odontológico devem ter um plano terapêutico definido para continuidade do cuidado, que deverá ser articulado, agendado e ter seu seguimento na rede de saúde”, completa Drª Claudia Toledo.

E os alunos levantados nesse projeto, estão sendo referenciados para o Centro de Especialidades Odontológicas do Jardim Alvorada e UBS do Jardim Jamaica onde, inicialmente, diante do levantamento de risco nas escolas, serão programadas agendas para o acolhimento das situações de maiores riscos; em seguida, serão feitos agendamentos para tratamento e acompanhamento.

Samira Guimarães Lima, 9 anos, também da escola Annita, está no 4º ano e adorou o projeto. “Achei uma ideia bem bacana e divertida. Eu estou todo mês no dentista por conta do aparelho, e achei ótima essa ideia de ter dentista aqui na escola; eles foram bem atenciosos”, contou.

O objetivo do projeto é manter as visitas regulares, pelo menos duas vezes ao ano, para que se torne um hábito e, assim, conseguir uma maior proximidade da população com as ações.

O projeto pretende, até o final do ano, contemplar todas as escolas municipais, num total de aproximadamente 14.800 alunos, e depois expandir para as escolas estaduais. (Departamento de Comunicação PMS)