Período chuvoso pede cuidados redobrados contra criadouros do Aedes aegypti

13/01/2020

            Verão é tempo de muito calor e abundantes chuvas, o que favorece a reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela urbana.

            Diante desse cenário, o diretor da Divisão de Controle de Vetores da Secretaria de Saúde de Sertãozinho, Juliano Mossin, destaca a importância de cada morador cuidar de todo o espaço que abrange a sua residência. “O período de muitas chuvas coincide com o aumento do número de criadouros e, consequentemente, de mosquitos, já que o calor deixa a água com a temperatura ideal para eclosão dos ovos. Portanto, cada morador deve redobrar a fiscalização de possíveis criadouros, já que 40% dos focos de proliferação do Aedes está dentro das residências”, alerta.

            Nas residências, os moradores devem estar atentos com as calhas, lajes, caixas d’água, garrafas, ralos, vasos com plantas e até bandejas de geladeiras ou qualquer recipiente que possa acumular água.

            O diretor da Divisão de Controle de Vetores insiste que a principal medida deve partir da população, eliminando criadouros. “Evitar que o mosquito venha a nascer é a medida mais eficaz. No dia a dia, as pessoas também podem adotar o hábito de usar repelentes, aplicar inseticidas embaixo das camas e atrás das cortinas, no período da manhã, entre 6h e 9h, e no período da tarde, das 16h às 18h30, e colocar telas milimétricas em janelas e ralos, que impedem o acesso de mosquitos”, explica Juliano.

 

                        ORIENTAÇÕES

 

            O morador que encontrar qualquer recipiente que acumule água, deve colocá-lo de cabeça para baixo, se for de uso diário, ou descartá-lo, se não tiver utilidade. Na verificação de calhas e lajes, se estiverem entupidas, deve-se fazer a desobstrução imediatamente. Já a orientação para ralos e vasos sanitários de banheiros não utilizados, é colocar uma colher cheia de sal nos ralos (exceto os de metal) e duas nos vasos sanitários. Outra opção é usar a mesma proporção de água sanitária.

            Já nos casos de pneus, se forem de utilidade, é necessário que estejam em local coberto e sem água; os sem utilização devem ser descartados no Controle de Vetores.

No caso das piscinas, como a limpeza e higienização é de responsabilidade do proprietário, elas devem estar cloradas e limpas. Caso haja vizinhos com piscinas suspeitas, o cidadão pode ligar para o Controle de Vetores, através do telefone 3945-5369, para que o setor possa tomar as medidas cabíveis.

 

                        AÇÕES PÚBLICAS

 

            Neste mês de janeiro, a equipe do Controle de Vetores, está realizando as ações de rotina: bloqueio de criadouros em casos suspeitos e confirmados, termonebulição (conhecido como “fumacê”) em bairros com casos confirmados de dengue, além de visitação a indústrias, borracharias, depósitos de sucatas, cemitérios, escolas, UBSs e todos os prédios públicos.

            De acordo com o departamento responsável, no dia 11/01 (sábado), haverá atividade de bloqueio de criadouros no bairro Alto do Ginásio; no dia 18/01 (sábado), as visitas serão no centro da cidade, e no dia 25/01 (sábado), acontecerá um novo mutirão no bairro Jardim Alvorada.

            De acordo com o Controle de Vetores, o trabalho é incessante. “Não podemos dar moleza. Sertãozinho é uma cidade que segue todos os protocolos do Ministério da Saúde contra o Aedes; o poder público está fazendo a sua parte, mas a população ainda precisa ter mais responsabilidade quando o assunto é dengue. Há locais em que os moradores são muito ríspidos e se recusam a receber os agentes”, opina.

            Em 2019, Sertãozinho fechou o ano com 1.477 casos confirmados. Já nos primeiros dias de 2020, já são 60 casos suspeitos. (Departamento de Comunicação PMS)

 

Legenda: Agente de vetores visita residência e encontra vários fatores favoráveis à proliferação do Aedes aegypti, além de outras pragas urbanas, como ratos, baratas e escorpiões