INDÚSTRIA - Termina a 23ª edição da Fenasucro & Agrocana

Presidente do CEISE Br, Antonio Eduardo Tonielo Filho, discursa entre as autoridades na abertura da Fenasucro & Agrocana 2015
31/08/2015

Eddie Nascimento

Lena Aguilar

 

Terminou ontem, 28, a 23ª edição da Fenasucro & Agrocana 2015, feira que aconteceu entre os dias 25 e 28 de agosto.  Durante os quatro dias de feira eram esperados mais de 33 mil visitantes, segundo previsão da Reed Exhibitions Alcantara Machado, uma das organizadoras da feira, que projetou um movimento de R$ 2,8 bilhões em negócios.  “A razão de todas as feiras é ser plataforma de negócios para a cadeia produtiva. As oportunidades tendem a se concentrar durante a feira e tivemos um patamar de pré-credenciados 18% maior que do ano passado. É um indicador bastante expressivo em relação a visitantes”, afirma Igor Tavares, diretor do portfólio de energia da Reed Exhibitions Alcântara Machado, que promove o evento com o Centro Nacional das Indústrias Alcântara Machado, que promove o evento com o Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis (CEISE Br).

A abertura da Fenasucro & Agrocana 2015 contou com a presença de autoridades, como o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo;  o vice-governador de São Paulo, Márcio França, além do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

O vice-governador do estado de São Paulo, Márcio França, destacou a importância do setor para o estado de São Paulo, e comentou sobre mecanismos de financiamento que o Governo Estadual vem planejando para minimizar a crise no setor.

 “Além de já termos passado por outras crises, e agora estamos passando por esta, urgentemente, devemos encontrar soluções que possam ajudar este setor importante, que envolve agricultura, tecnologias, energia e inovações. Temos que buscar linhas de financiamentos e implantar nas usinas, além de produzir o Retrofit, onde permite obter uma caldeira mais adequada para esta novidade que é a energia da cana”, aponta França.

Representando o Governo Federal, o ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, não deu muitos detalhes sobre investimentos do governo Dilma Rousseff em relação ao setor. De acordo com Rebelo, o ministério, que ele está à frente, possui projetos e programas que favorecem a energia alternativa e o bicombustível tem um papel decisivo. Já sobre a Fenasucro & Agrocana 2015, Aldo Rebelo declarou que a feira se equivale a outras feiras nacionais que também tratam do setor.

 “O Brasil possui um setor sucroenergetico mais inovador do mundo. Esta experiência vem desde os anos 30. Por isso que o Governo Federal envia recursos para ciência, pesquisa e inovação. O Estado de São Paulo tem um papel decisivo neste contexto industrial. Esta feira é vitoriosa e equivale as outras feiras no mesmo teor, que são realizadas no Brasil”, avalia Aldo Rebelo.

Já o secretário da Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, que tem sido grande defensor do setor sucroenergético, revela dados sobre o consumo de etanol. Segundo ele, o consumo foi muito baixo nos últimos seis anos, essa queda, aliada aos erros do Governo Federal, como congelamento do preço da gasolina e falta de planejamento sobre políticas que valorizam o setor   sucroenergético, fez a crise se agravar ainda mais.

“Faz seis anos que não inauguramos uma usina no Brasil. Houve erros cometidos pelo Governo Federal. Agora temos que apresentar propostas, com regras precisas sobre o setor, visando a empregabilidade.  Isto se faz com lideranças”, avalia o secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim.

Ainda durante a Fenasucro & Agrocana 2015 foi assinado um convênio entre o Governo de São Paulo e a Fatec de Sertãozinho para a criação de um laboratório de análises para a indústria. A informação foi passada pelo presidente do CEISE Br, Antonio Eduardo Tonielo Filho, que também destacou o pedido de um Parque Tecnológico para Sertãozinho

 “Assinar este convênio é um passo para que o Instituto faça as análises em estudos, a fim de melhorar a nossa competitividade industrial. O Parque Tecnológico para Sertãozinho é uma necessidade básica e fundamental para atender as demandas deste mercado, que possui como fator primordial a tecnologia”, explica Antonio Eduardo Tonielo Filho, presidente do CEISE Br.

Se por um lado o setor vem amargando baixas em investimentos, fechamento de usinas e demissões em polos como Sertãozinho, por outro ganha novas expectativas com a recente aprovação de um pacote da união de R$ 186 bilhões em prol da geração e da transmissão de energia até 2018. Atentos a isso, 44% dos expositores levaram à Fenasucro & Agrocana 2015 tecnologias voltadas para a produção elétrica através da biomassa do bagaço e da palha da cana-de-açúcar.

 “Esta feira priorizou a inovação em tecnologia e energia elétrica. Ela mostrou isso aos compradores. Tivemos o aumento do dólar e por isso estamos na fase de vender tecnologia para outros países”, finaliza Tonielo Filho. 

Protocolo de intenção  

Durante a Fenasucro 2015 foi apresentada uma novidade. Um protocolo de intenção que favorece a comercialização de gás natural obtido através do bagaço da cana-de-açúcar.

A novidade foi apresentada na última quarta-feira, 26, e prevê a produção e distribuição do biometano proveniente da vinhaça no Noroeste do Estado de São Paulo. A assinatura do protocolo de intenção contou com a participação de representantes da Malosso Bioenergia S/A, Consórcio CSO e Gás Brasiliano e também de João Carlos de Souza Meirelles, secretário de Estado de Energia, e de Milton Flávio Marques Lautenschlager, subsecretário de Energias Renováveis. O ato aconteceu no Espaço de Conferências Fenasucro & Agrocana, durante o V Seminário sobre Bioeletricidade.