Com vistas à cidadania, Sertãozinho encerra atividades de última ocupação irregular em seu território

Com vistas à cidadania, Sertãozinho encerra atividades de última ocupação irregular em seu território
24/06/2019

Ação foi marcada por ato religioso; a partir de agora, município não possui mais famílias morando em situação de risco

 

            Um município de aproximadamente 125 mil habitantes conhecido por sua expertise no setor sucroenergético, pujança industrial e comercial, berço do hóquei sobre patins, número 1 da região na qualidade da educação básica... essas são algumas das características associadas a Sertãozinho. Porém, a partir do dia 13 de junho de 2019, a cidade também passou a ostentar outra conquista: a de não possuir mais cidadãos vivendo em situações de risco. Isso porque, nessa data, a única ocupação irregular existente no município, conhecida como “Granja”, teve suas atividades oficialmente encerradas.

            Eram seis horas da tarde quando o padre Washington Nascimento, da Quase-Paróquia de São Francisco de Assis, que durante anos manteve uma capela e um trabalho religioso e social na área da ocupação, deu início à celebração de sua última missa no local, onde nos últimos oito anos residiram 480 famílias.

            Durante a celebração, o padre se recordou do dia em que, recentemente, uma forte chuva derrubou a capela de São Vicente de Paulo erguida anos antes no local. “Eu fiquei me perguntando: ‘meu Deus, porque o Senhor derrubou a casa que construímos com tanta dificuldade?’. Hoje, eu tenho a resposta: ele sabia que aqui serviu de abrigo, mas não seria o lar definitivo desses seus filhos”, comentou.

            Foram anos de trabalho e negociações junto ao movimento social responsável pela ocupação, que envolveram os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, também recordados pelo celebrante. “Hoje é um dia muito feliz. Um dia que temos que agradecer a duas pessoas que aqui estão, que são o prefeito Zezinho Gimenez e o senhor Luiz Garcia. Cada um, à sua maneira e dentro de suas possibilidades, se empenharam muito para que vocês saíssem da situação de risco que viviam aqui”, disse padre Washington, se referindo aos antigos moradores da “Granja” presentes à celebração, e completou: “que Deus abençoe seus novos e futuros lares, e que abençoe esses dois homens, o senhor Luiz Garcia e o prefeito Zezinho Gimenez, para que sigam o trabalho deles. Eu creio que o senhor seja um enviado de Deus, prefeito Zezinho, pois esta é a segunda vez que o senhor não descansa até conseguir oferecer um local digno para famílias em situação de risco morarem”, mencionou o padre, relembrando todo o movimento empenhado pelo chefe do Executivo, quando em suas duas primeiras gestões, com muito trabalho e união de forças, foram construídas e entregues as moradias da Vila Áurea Mendes Gimenez, com o objetivo de alocar dezenas de famílias que viviam em situação de risco, onde hoje existe o Parque da Vida.

            Além dos antigos moradores da “Granja”, também acompanharam o ato o vice-prefeito Nilton César Teixeira, servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania e a imprensa regional.

            Ao usar a palavra, o líder da União Movimento por Moradia, Luiz Garcia, lembrou as dificuldades encontradas no local, e agradeceu ao prefeito Zezinho Gimenez. “O Zezinho é um grande administrador e também é um homem de grande coração. Só podemos agradecer por tudo o que foi feito por estas famílias até aqui”, declarou.

            Em suas palavras, o prefeito Zezinho Gimenez relembrou ações passadas que beneficiaram outras famílias que residiram na “Granja”. “No ano de 2015, 280 famílias que moravam na ocupação foram contempladas, cada uma com sua moradia definitiva, quando a Administração Municipal inaugurou os empreendimentos de interesse social, Condomínio Residencial Geraldo Honório Garcia e Conjunto Habitacional Anélio Celline. Agora, em 2019, o restante das famílias da ocupação, duzentas ao todo, deixaram definitivamente essa área de risco e, com isso, nossa cidade não terá mais cidadãos morando em ocupações irregulares, o que nos deixa muito felizes”, disse.

Sobre as últimas 200 famílias que desocuparam a área, é importante destacar que, 104 já foram contempladas, cada qual com uma moradia, no loteamento de interesse social Cruz das Posses I, que está sendo construído com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida, no Distrito de Cruz das Posses. Essas moradias devem ser concluídas e entregues às famílias no próximo mês de agosto e, enquanto isso, elas estão sendo acolhidas em casas de familiares.

As outras 96 famílias foram devidamente cadastradas pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania e, após aprovação de legislação de autoria do Executivo junto à Câmara Municipal, já estão sendo contempladas com o benefício “Aluguel Social”, que prevê a destinação de R$ 400 mensais, pelo período de dois anos, para custeio de moradias alugadas. De acordo com a pasta, assim que for oficializado novo empreendimento de moradias de interesse social no município, essas famílias terão prioridade na indicação para que sejam contempladas.

“Nosso objetivo é que Sertãozinho não tenha mais pessoas vivendo em situação de insalubridade. Nós já temos área adquirida para um novo conjunto habitacional de interesse social, e espero que, ainda nesta minha gestão, tenhamos a alegria de pelo menos dar início à construção de mais casas, beneficiando a população em situação de risco e também aqueles cidadãos devidamente cadastrados, e que há tempos esperam pela oportunidade de possuírem a casa própria”, concluiu Gimenez. (Departamento de Comunicação PMS)