08 de Março dia Internacional da Mulher!

08 de Março dia Internacional da Mulher!
13/03/2019

Do casamento de Felippe e Consiglia Collafemina Mussa nasceram 7 filhos, 7 irmãos, sendo 3 mulheres. A mais velha Maria Neli.

É casada com Toninho Tonielo, com quem tem 6 filhos, sendo 5 mulheres.

No começo do casamento, Maria Neli foi morar na Fazenda Santa Inês, de propriedade dos irmãos Tonielo. A fazenda produzia aguardente, leite e tinha uma plantação de arroz. O leite e o arroz eram para consumo próprio, porém como a produção de arroz e leite era muito satisfatória, os Irmãos Tonielo dividiam com os funcionários do engenho de aguardente e quem fazia a divisão ela era mesma: Maria Neli.

Quando sabia da dificuldade de alguns, Maria Neli sempre dava um pouco mais. E durante o ano, Maria Neli dava pensão e fazia a comida para os funcionários.

Com o passar dos anos, Neli precisou mudar para a cidade, pois na fazenda não tinha escola que ministrasse aulas do antigo Ginásio (Ensino Fundamental 2).

O tempo foi passando e na cidade, Maria Neli começou a trabalhar como voluntária na escola “Viana”.

Foi eleita Presidente do Hóquei sobre patins, e da Patinação artística pelo time da Ortovel, viajava com os atletas e era responsável pelo bem estar de todos, e vibrava muito na torcida.

Sua dedicação fez com que recebesse um convite. Participar das eleições como vereadora e, adivinha? Sim, ela ganhou as eleições.

Na Câmara Municipal, Maria Neli não fugiu dos debates políticos em busca de melhorias para o povo mais necessitado. Na eleição seguinte saiu como vice-prefeita, mas quis o destino que ela perdesse as eleições. Maria Neli voltou aos seus trabalhos voluntários dedicando, assim, sua vida familiar e as atividades do bem servir à comunidade.

Nos finais de semana, viajava para fazenda bem cedinho e quando voltava, na parte da tarde, sempre que chegava tinham pessoas à sua espera. Maria Neli trazia frutas, legumes e leite e os doava àqueles que batiam em sua porta.

No ano de 1996, já acostumada com a vida que levava, veio outro convite político. Dessa vez, um mais ousado: ser candidata à Prefeita de Sertãozinho.

Mulher de fibra e que não foge de uma briga, lá foi ela pelas ruas da cidade pedir votos. Por onde passava, alguém tinha uma “história curiosa” para contar da mulher Maria Neli. Frase como “você ajudou a minha família quando chegamos à cidade” eram constantes e, por onde passava, o povo ovacionava. E ela, sempre humilde, retribuía com um sorriso e dizia: “não ajudei ninguém com a intenção política, sempre ajudei com a intenção de colaborar com o próximo”.

Meses depois, a história política de Neli se consagrou. Ela venceu as eleições e se tornou a primeira prefeita de Sertãozinho. Quando assumiu a prefeitura, recebeu uma dívida gigante e uma Câmara Municipal com maioria de opositores. Não tinha dinheiro para folha de pagamento dos funcionários, e sobre sua cabeça o temor de uma intervenção por conta do alto valor da dívida do Executivo.

Com maestria, Maria Neli começou a se destacar e marcava várias reuniões nos governos estaduais e federais, para pedir ajuda e, depois de muito empenho, conseguiu um financiamento para o pagamento de salários. Convocou as empresas que estavam com impostos atrasados, negociou e parcelou. Abaixou os impostos das empresas e ampliou o parque industrial da cidade.

Pequena em estatura, mas com um coração gigante, ela não tinha medo. Brigou com homens gigantes e poderosos, trouxe para nossa cidade o imposto que ia para cidade de Paulínia. Mesmo brigando pela cidade, alguns membros da oposição questionavam o seu jeito de governar.

Vale um registro importante: em suas viagens para São Paulo e Brasília, ainda que fosse na condição de prefeita, dona Neli Tonielo usava seus recursos. Ou seja, nunca usou dinheiro público para viajar, alimentar e/ou hospedar.

Maria Neli deixou para o seu sucessor uma prefeitura bem diferente daquela que encontrou. Os anos se passaram e seus filhos lhe deram frutos lindos: 12 netos e duas bisnetas. É uma avó super coruja.

A vida seguia calma até que, em agosto de 2016, ela se levanta do sofá e anuncia a toda família: “sou candidata à vereadora”. Alguns ficaram surpresos e ela continuou: “enquanto tiver vida, vou ajudar um filho sertanezino que tiver dificuldade”. Em 03 de outubro de 2016, às 19 horas, resultado das eleições sai e, claro, Maria Neli é eleita vereadora.

Se você chegou até esse parágrafo, evidentemente, viu o quanto essa mulher é forte e batalhadora. Detalhe: isso é apenas uma parte da trajetória de uma mulher chamada Maria Neli. Maria, mãe de Jesus que viu seu filho morrer na cruz, e Neli “a reluzente”, “a resplandecente”...

Diferentemente de muitas pessoas que se vangloriam de suas histórias, Neli conquista a todos por manter hábitos muito simples. Chega sempre nos horários de seus compromissos, faz questão de olhar nos olhos das pessoas, beijá-las e confortá-las com um abraço. Apesar de ter uma vida completamente cheia, na agenda dela, além de todos os compromissos profissionais, há aqueles que são sagrados: agradecer a Deus, visitar as pessoas, cuidar da família, nutrir suas amizades sinceras e, mais do que isso, espalhar energia boa que, para ela, faz toda a diferença neste mundo.

“A VOCÊ MULHER SERTANEZINA, MINHA ETERNA GRATIDÃO” MARIA NELI MUSSA TONIELO